Backstage | Paulo Pinho
Backstage | Paulo Pinho

Entre polémico e surpreendente: o segundo fim de semana de Rock in Rio Lisboa

Post Malone, Duran Duran, Anitta, Bush, Jason Derulo, HMB ou A-ha - com este cartaz fica muito difícil escolher. A energia esteve ao rubro mais uma vez na cidade do Rock, numa edição marcada pela forte vontade de regressar à normalidade e ao espírito festivaleiro do verão.

Imagem de perfil de Paulo Pinho
Paulo Pinho
Fotógrafo
Imagem de perfil de Sofia Felgueiras
Sofia Felgueiras
Jornalista
Segunda-feira, 27 de Junho de 2022, às 08:00

Quem nunca bateu o pé ao som de Anitta que atire a primeira pedra! E o espetáculo que esta rainha da pop brasileira deu foi um agitar de águas no mínimo icónico, com direito a entrada de mota! Comecemos por aqui! Primeiro a questão da perdas dos adereços, depois o facto de partir os óculos ao fã e ainda a história da bandeira! Se não tivesse alguma polémica envolvida, não seria ela! Uma vinda a Portugal marcada pelo facto de trazer consigo a família e o boy, que tem que gostar de Portugal, porque de outra forma não serve!

Para um público que não está tão a par das novas tendências e que prefere algo que reavive boas memórias do passado, o concerto dos Duran Duran foi ideal!

Simon Le Bon e os seus companheiros inundaram os fãs - com uma média de idades entre os 50 e os 60 anos - com os hits que tanto queriam ouvir. Uma hora e meia de sucessos e de gritaria por parte do público, por verem estas lendas ao vivo. Para os mais jovens, pelo menos "Wild Boys" e "Invisible" fizeram todo o sentido.

Voltando à linha mais contemporânea, Post Malone foi uma enorme surpresa, acabando por dar um concerto memorável, do qual muitos não se vão esquecer. E se pensam que precisou de muita gente em palco para dar show, é aí que estão realmente enganados. Sozinho arrasou e entre sucessos como "Rockstar" conseguiu seguir aquilo que mais defende - fazer com que os fãs sintam que valeu a pena comprar o bilhete. Surpreendente foi uma das palavras de ordem, para o artista que foi recentemente pai, mas que demonstrou o que é um concerto a sério.

Num festival em que também se fala em português, a atenção esteve virada para os HMB com a sua energia sempre tão contagiante, a boa vibe e a incrível voz que todos conhecemos da rádio de Héber Marques. Com destaque para o novo tema "A Chapa Tá Quente" e para aquela balada que não pode faltar, o "Peito", a Bela vista uniu vozes e tornou-se obrigatório mandar um ou dois pezinhos de dança.

Os anos 80 tiveram ainda o merecido destaque graças aos noruegueses A-ha, com os olhos e os ouvidos postos no imortal single "Take On Me". As opiniões dividiram-se entre os que esperavam mais e os que ficam definitivamente felizes por reviver a nostalgia que este tipo de artistas traz consigo de forma inata. Um dos momentos marcantes deste concerto foi sem dúvida "Crying in the Rain" sobre o tiroteio na Noruega, na sequência do desfile LGBTQIA+.

Sobre Jason Derulo, muito terá o público feminino a dizer sobre este artista que deixa qualquer um encantado com a sua boa forma física e umas quantas frases bonitas dedicadas às babes. É impossível não ligar esta voz automaticamente ao TikTok pelo icónico "Savage Love", ma foram também vários os hits que em conjunto com as suas bailarinas se fizeram ouvir. Para os mais novos uma escolha de cartaz que fez todo o sentido.

Mais de 280 mil pessoas marcaram presença na Cidade do Rock! O Rock in Rio  estará de volta a Lisboa em 2024, com muitas expectativas para o cartaz, depois do sucesso desta edição.

Artigos relacionados
Política de Cookies
O nosso website utiliza cookies para identificar fluxo de tráfego e páginas mais visitadas por cada visitante, sem nunca guardar informação pessoal do utilizador. Esta informação ajuda-nos a perceber o que os nosso público-alvo procura e, com o conhecimento, ajudar-nos a melhorar o serviço que prestamos.