Publicidade

Agenda

13Dez

Os Azeitonas

Coimbra

15Dez

Mariza

Guimarães

19Dez

Tatanka

Porto

0306Jan

Cirque du Soleil - Ovo

Lisboa

15Jan

Steven Wilson

Lisboa

18Jan

Gavin James

Porto

19Jan

Gavin James

Lisboa

Publicidade

Dom, 26 Nov 2017 às 15:35

Vodafone Mexefest’17: Dispersão e união do público em torno da música

Dia 25 de novembro, sábado, foi o segundo dia do Vodafone Mexefest 2017 em Lisboa, uma edição esgotada.

Os grandes destaques eram Cigarettes After Sex, Aldous Harding, Allen Halloween, Sevdaliza, ou, para resumir, Everything Everything. Já os portugueses mais conhecidos seriam Luís Severo e Moullinex.

Às 18:00 o Cinema São Jorge transmitiu um documentário sobre Charles Bradley, falecido em setembro, que teria vindo cantar ao Mexefest com muito amor. “Amor, decência e honestidade” eram as palavras mais repetidas pelo cantor.

O Vodafone Mexefest deu lugar ao revivalismo das músicas tradicionais portuguesas, com o grupo feminino Sopa de Pedra a atuar ‘a capella’ na Casa do Alentejo, a partir das 20:00. Simultaneamente, O Gajo tocava guitarra com uma mestria ímpar no Palácio Foz, numa sala sem palco, sem poder ser visto pela multidão. Por falar em mestria, Luís Severo também mostrou muita, ao cantar as suas composições, acompanhando-se apenas ao piano, no Teatro Tivoli BBVA.

Aldous Harding impôs silêncio no Cinema São Jorge, que lhe dava aplausos muito barulhentos, mas que ficava mais vazio a cada final de canção, pois o Coliseu, na outra ponta da Avenida da Liberdade, recebia Cigarettes After Sex às 21:00. Foi esse um dos mais aguardados e mais cheios concertos da noite.

Terminavam Cigarettes After Sex e à volta do Rossio ouvia-se música com muita energia, pelas 22:00. Eram os Childhood na Estação Ferroviária do Rossio (Estação Vodafone neste festival).

As várias salas ao longo da Avenida da Liberdade ofereciam programas diversificados para aproveitar a boa música até perto das 23:00, quando estariam a começar três importantes concertos: Allen Halloween no Cine-Teatro Capitólio, Julia Holter no Teatro Tivoli e Everything Everything no Coliseu. Se o público estava disperso entre as três bandas, à meia-noite acumulava-se todo para ver Sevdaliza no Cinema São Jorge.

Para fazer as despedidas do festival, havia três opções: Liars na Estação do Rossio, a festa do Sótão do Teatro Tivoli até às 02:00 e o campeão português da noite, Moullinex, que dominou o Coliseu dos Recreios a partir das 00:30.

Galeria

Etiquetas

Artigos semelhantes

  • [CAPA-EXISTE] [/CAPA-EXISTE]
    [SECCAO-EXISTE]

    [SECCAO-NOME-SINGULAR]

    [/SECCAO-EXISTE]

    [NOME]

    [LISTA-INTERVENIENTES] [LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] por [/LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] [LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES], [/LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES] [LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [INTERVENIENTE-NOME] [/LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [/LISTA-INTERVENIENTES]