Publicidade

Agenda

21Abr

Party. Sleep. Repeat.

São João da Madeira

23Abr

Arcade Fire

Lisboa

24Abr

Adriana Calcanhotto

Porto

30Abr

Ben Harper & Charlie Musselwhite

Lisboa

11Mai

Sequin

Lisboa

12Mai

Niall Horan

Lisboa

13Mai

Angel Olsen

Guimarães

Publicidade

Sáb, 18 Nov 2017 às 15:47

Spoon regressaram a Lisboa e realizaram o seu próprio festival

Spoon regressaram a Lisboa a 17 de novembro para apresentar o novo álbum “Hot Thoughts” no Coliseu.

Quando Britt Daniel cumprimentou o público, sabia que muitos assistiram à atuação no festival NOS Alive 2017, onde atuaram no dia 08 de julho. “It was a good show, I remember. A good show”, disse.

O último concerto não ficou atrás e pareceu ele próprio um festival de música, com a atuação de Husky Loops na primeira parte. A sala do Coliseu foi iluminada de cores intensas – rosa, azul, verde – como a capa do álbum.

A música de Spoon passa por vários estilos e a banda demonstrou neste concerto uma grande capacidade camaleónica. Os membros conseguem tocar vários instrumentos, como se viu nas vezes em que trocavam. O carisma do vocalista é inegável e é uma grande atratividade da banda.

Os músicos dominaram o palco e moveram-se o tempo todo, enquanto o público dançou do primeiro ao último momento, como se quer numa noite de sexta-feira.

“Do I Have to Talk You Into It” foi a primeira canção, altamente alternativa, que mistura um pouco de jazz, blues e funk.

Apanharam um “Rainy Taxi”, conseguiram sair do labirinto do “do you do you do you do you” e passaram ilesos pelo álbum “They Want My Soul” de 2014, e pelos álbuns de 2001, 2005, 2007, 2010.

Foi assim, estranha, a paragem de vários minutos para passar ao ‘interlude’ e recomeçarem com a triste “I ain’t the one” num ambiente que pareceu profundo e íntimo.

Voltando ao vocalista e o seu carisma – que não dá para esquecer – cantou deitado “I ain’t the one”. Na boca do palco, cantou com o vento no cabelo “You’re so far away”. Como se implorasse, cantou de joelhos “Can I sit next to you”, atirando o suporte do microfone.

Os músicos foram muito importantes na criação deste “festival”, pareciam até tocar em câmara lenta. Foram verdadeiras estrelas de rock em algumas interpretações.

Saíram do palco e o público não acalmou por um segundo, chamando de novo. Foi grande a festa quando a banda voltou para o ‘encore’ e quando Britt Daniel falou em português: “Lisboa, obrigado!”.

O aguardado single “Hot Thoughts” e outras músicas fizeram um final muito bem conseguido.

Etiquetas

Artigos semelhantes

  • [CAPA-EXISTE] [/CAPA-EXISTE]
    [SECCAO-EXISTE]

    [SECCAO-NOME-SINGULAR]

    [/SECCAO-EXISTE]

    [NOME]

    [LISTA-INTERVENIENTES] [LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] por [/LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] [LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES], [/LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES] [LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [INTERVENIENTE-NOME] [/LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [/LISTA-INTERVENIENTES]