/ Christopher Polk - Getty Images
Qua, 1 Mai às 23:57

Bob Dylan no Coliseu do Porto: sem palavras, mas com muita música

Pouco passava das 20:00 quando Bob Dylan entrou no palco. O Coliseu do Porto recebeu o Prémio Nobel da Literatura de 2017 com um grande aplauso.

Num palco intimista, em tons quentes preenchido apenas pelos instrumentos e uma estátua vinda de uma loja de artigos Vintage da cidade invicta, o compositor começou ao piano com “Things Have Changed”.

De fato preto com aplicações brilhantes, Bob Dylan surge bem disposto no local onde tudo começou em Portugal. Foi precisamente no Coliseu do Porto que o compositor atuou pela primeira vez em terras lusitanas, há 26 anos atrás.

O artista fez-se acompanhar por mais quatro grandes músicos: Charlie Sexton na guitarra, George Receli na bateria, Tony Garnier entre o contrabaixo e o baixo elétrico e Donnie Herron no bandolim, pedal steel e violino.

Bob Dylan presenteou todos os que se dirigiram até à sala de espetáculos revisitando temas como “Ain’t me babe”, “Honest with me”, “Trying to get to heaven” e “Rolling Stone” com novas roupagens, mostrando que a idade é apenas um número e que o artista ainda é capaz de surpreender aqueles que o acompanham.

No final de cada uma das 20 canções, de mãos nos bolsos ou na anca, dirigiu-se ao centro do palco, para agradecer. Como habituou as plateias por onde já passou, esse gesto substituiu as palavras não trocadas. Na verdade, o músico de 77 anos presenteou o Coliseu do Porto com palavras bem mais valiosas do que simples agradecimentos: os versos das suas icónicas músicas, declamados com um sentimento inigualável.

Terminou o concerto absorvendo a ovação de um Coliseu lotado, com um sorriso um tanto ou quanto atrapalhado de quem, apesar de tantos anos e concertos vividos, ainda continua a acolher o carinho do público como se da primeira vez se tratasse.

Sem qualquer fotógrafo para registar o momento, Bob Dylan cantou para quem lá esteve e quem lá esteve comprovou que o músico e a sua música estão vivos, reinventados e surpreendentes.

Alinhamento:

"Things Have Changed"

"Ain’t Me Babe"

"Highway"

"Simple Twist"

"Cry A While/Duquense"

"Masterpiece"

"Honest With Me"

"Trying To Get To Heaven"

"Scarlet Town/Workingman’s"

"Feel My Love"

"Pay In Blood"

"Rolling Stone"

"Early Roman Kings"

"Twice"

"Lovesick"

"Thunder On The Mountain"

"Soon After Midnight"

"Serve Somebody"

"Blowin’"

"Takes A Train/Long And Wasted"

Etiquetas

Publicidade

Agenda

17Out

João Só

Lisboa

17Out

Lulu Santos

Lisboa

1819Out

O Fantasma da Ópera em concerto

Porto

18Out

Sam the Kid com Orquestra e Orelha Negra

Lisboa

19Out

António Zambujo

Póvoa de Varzim

19Out

Os Quatro e Meia

Lisboa

19Out

Mariza

Espinho

Publicidade

Artigos semelhantes

  • [CAPA-EXISTE] [/CAPA-EXISTE]
    [SECCAO-EXISTE]

    [SECCAO-NOME-SINGULAR]

    [/SECCAO-EXISTE]

    [NOME]

    [LISTA-INTERVENIENTES] [LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] por [/LISTA-INTERVENIENTES-PRIMEIRO] [LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES], [/LISTA-INTERVENIENTES-SEGUINTES] [LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [INTERVENIENTE-NOME] [/LISTA-INTERVENIENTES-TEMPLATE] [/LISTA-INTERVENIENTES]